A menina de Cera

11:39:00


A menina de cera ganhou vida por um acaso, um anjo com uma incumbência altruísta se descuidou, se enganou, negligenciou e entregou a ela, que era uma obra de arte, o dom da vida.

Ela nasceu daquele tamanho, seus cabelos pretos levemente cacheados, sua pele branca, cor natural da cera, seus olhos escuros e levemente puxados para baixo a transformaram numa excelente peça de exposição e logo depois, do encontro com o anjo atrapalhado, em uma linda mulher.

Assustada e com a consciência recém adquirida ela não se lembrava de nada, apenas olhava o anjo que lhe dera o dom da vida e sem saber o que era este calor que sentia no peito se apaixonou perdidamente pelo seu benfeitor.

Uma escultura, uma menina de cera, vestida em trajes de gala, como se fosse a uma festa, transformada em ser humano e apaixonada por um anjo de longas asas e de olhos expressivos. Que jeito dar certo tantas desigualdades?

Após ver a menina de cera o anjo, que não conhecia o amor entre os homens, em razão de ser angelical sorriu. Mas como uma peça que se prega em amigos ele sentiu algo diferente, achou que queria abraçar a menina de cera e assim fez.

Ele chegou perto da obra de arte, que agora era menina, abriu os braços e ela o imitou, logo estavam com os corpos colados, desejando que o tempo não passasse que nada os impedisse de continuar juntos. Mas logo a menina de cera sentiu fome.

Ela disse ao anjo que estava com a barriga doendo e que se sentia um pouco zonza. Logo, o anjo que possui um vasto conhecimento sobre a vida, percebeu que ela precisava de alimento, diferente dele ela era humana.

O anjo serviu-se da sua capacidade para influenciar as pessoas e logo uma pessoa tocada pelo anjo, que ficava invisível quando queria, deu comida para a menina de cera.

Assim a menina de cera foi aprendendo a ser humano com ajuda do anjo, que logo arrumou uma casa para ela morar, esqueceu-se das obrigações celestiais e começou a cuidar dela. Em pouco tempo ele a amava intensamente e ela correspondia.

Ele a levava, com seus poderes, para viajar nos mais diversos lugares do Planeta e ela o recompensa com beijos, abraços e sorrisos e assim o tempo passou.

Foram felizes, era uma vida divina no sentido literal da palavra. Conheceram-se como homem e mulher e viveram intensamente os belos momentos que tiveram, mas a menina de cera envelhecia e o anjo não percebia.

Quando ela se queixava de dores ele a curava. E assim a vida prosseguia. Os céus não mexeram com o anjo, deixaram-no seguir o curso do seu teste. Para os céus como está escrito na bíblia um dia é como mil anos e mil anos é como um dia.

Passado tanto tempo depois daquele fatídico dia que o anjo deu o dom da vida para a menina de cera ela morreu. A sua carne estava ressentida, seus órgãos paralisaram e nada do que o anjo intencionou e fez adiantou. Prostrou-se no chão, colocou a face no chão e pediu clemência a Deus.

Quando o dono dos céus e da terra, senhor da vida apareceu o anjo tinha o rosto banhado em lágrimas. E o anjo rogou, senhor tenha piedade de mim, ajuda-me, faz a minha menina voltar a sorrir para que mais uma vez eu possa abraçá-la?

O todo poderoso, conhecedor do coração humano e do coração do anjo, percebeu o que o anjo se transformava em humano e disse que queres que eu faça? O acordo que eu tenho com a terra é este, tudo o que dela saí um dia a ela retorna.

Neste momento o anjo foi tocado por Deus e o amor que sentia se esmaeceu. As lembranças não se apagaram, ele ainda sentia o calor dos lábios da menina de cera, mas ele entendeu que não poderia mais ficar com ela.

Então ele pediu a Deus, posso fazer dela novamente uma obra de arte, uma menina de cera? E Deus respondeu que dela não, porque ela deveria ser enterrada, mas que ele poderia tocar um escultor para este fazer um outra obra de arte que a lembrasse.

O anjo convencido por Deus e com o ânimo melhor pela força que o criador havia lhe dado pediu então permissão para enterrá-la e Deus o deu.

Imediatamente, utilizando seus poderes angelicais transportou o corpo para as terras gelas e lá enterrou a menina de cera. Assim ela voltaria para a terra, mas não seria consumida. Pegou uma grande rocha colocou em cima do sepulcro que cavara sem por as mãos e nela escreveu: “graças a você consigo entender a importância de um abraço e o sabor de um beijo”.

O anjo partiu, mas jamais esqueceria o local onde estava a sua menina de cera. Em seguida percorreu o mundo, tocou na inspiração de um grande escultor, que fez uma bela jovem de cera e a vestiu com uma roupa de gala.

Quando a nova menina de cera foi colocada para exposição o anjo sentiu-se radiante e passaria a visitar aquele museu de cera toda semana.

Por fim ele virou um anjo que entende o amor e até hoje sempre que pode toca as pessoas amantes para que fiquem juntas para ser como falou o poeta “eterno enquanto durar o amor”.


VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

1 comentários

  1. Uma historia Realmente Lindaa...
    mto mesmo
    Sei, pq quero e tenho fé nisso, que um dia ei de compartilhar de tamanho amor verdadeiro...de tamanha intensidade, calor, reciprocidade e cumplicidade...
    Todos os que vem a terra vem com pelo menos uma missão, ao qual uma hora acabam por cumprir.
    Conhecer e usufruir em reciprocidade do amor verdadeiro!
    Beijos a Quem lê
    Stephanie S.B.
    S2

    ResponderExcluir

Obrigado. Fica com Deus.

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Seguidores

Acreditar

Acreditar