Profissão: Guarda Civil Municipal

18:31:00



Desde que o homem adquiriu a consciência passou a ser um inquiridor de tudo e de todos, principalmente de si próprio.

É fato que ao evoluir em uma progressão geométrica o ser humano passou a ser mais insatisfeito consigo e iniciou uma luta inglória contra inimigos produzidos por ele mesmo.

Nos dias de hoje umas das maiores fontes de incertezas e lamentações é a profissão escolhida, uma vez que inúmeros fatores interferem na qualificação do indivíduo, tais como ter claro o objetivo a ser atingido, possuir a capacidade de fazer sacrifícios e conhecer a arte de perseverar. Não elenco a posição social da família, econômica e cultural porque acredito que são elementos contornáveis pelos fatores acima apresentados.

Caso toda a vida da pessoa pudesse ser planejada por seus pais, acredito que estes na ânsia de fazer o melhor por seus rebentos escolheriam profissões que consideravelmente tem status social e uma boa remuneração, como a de médico, a de juiz de direito, a de diplomata, a de um executivo bem sucedido ou quaisquer outras que fosse digna, respeitável e enaltecida. Será que algum pai escolheria para o seu filho a profissão de Guarda Civil Municipal? Você escolheria?

A profissão de Guarda Civil Municipal é nova, nos termos atuais, pois sua previsão legal tem origem na Constituição Federal de 1988 e ainda não está cem por cento regulamentadas, ainda há muitas discussões sobre o assunto.

Em geral a população nem sabe o que faz um Guarda Civil Municipal, muitos tem uma vaga noção, dizem que é para cuidar do patrimônio municipal e só. Ora a própria lei maior diz que as Guardas Municipais deverão cuidar de bens, serviços e instalações, que obviamente são atribuições que não são sinônimas só do patrimônio municipal.

A profissão de Guarda Civil Municipal quando em combate ao crime muito se assemelha com a dos lixeiros, uma vez que os guardas trabalham com a escória da sociedade, pois são pessoas que estão à margem da sociedade e são classificadas como “descartáveis”. A grande diferença é que o “lixo” não é inanimado, mas sim lamentavelmente um ser humano, que se perdeu no caminho.

É interessante observar como as pessoas nos indagam na rua, sem maldade aparente, mas nem por isso menos ferinas. Você não quis estudar? Ah! Você é tão jovem, vai fazer outra coisa! Nos lares também não é diferente, por vezes os familiares dizem: pelo amor de Deus fulano sai dessa vida! Vai trabalhar em outro lugar!

Por que será que agem assim? Talvez tenham medo que os seus entes queridos se machuquem, talvez acreditem que a remuneração não é suficiente ou talvez simplesmente não gostem da exposição a que se submete o guarda civil municipal.

Entretanto, seja por um motivo ou por outro, grande parte da sociedade e dos familiares não conhecem a verdadeira satisfação da profissão.

O guarda civil municipal geralmente reside na cidade em que trabalha, conhece o chão, as pessoas, os bens, os serviços e as instalações que protege. Tem uma relação íntima com a história do local. Talvez naquele bairro que ele vá atender uma ocorrência ele tenha vivido sua infância, naquela escola em que ele vai dar uma palestra ele relembre dos seus dias de aluno e naquela outra localidade ele se lembre de outro fato que faz com que ele tenha identidade e carinho pela cidade.

A grande satisfação em ajudar o próximo provoca uma sensação de bem estar, purga uma parte dos pecados e nos aproxima da máxima de Jesus Cristo “faça ao teu próximo como gostaria que fosse feito a ti mesmo”. A satisfação consiste em devolver a paz perdida. O guarda civil municipal pode auxiliar o corpo de bombeiros, nas internações de pacientes psiquiátricos, na orientação do trânsito, na manutenção da ordem pública de uma rodoviária, de uma praça, bem como pode prender um criminoso que roubou, matou, traficou ou estuprou.

A Guarda Civil Municipal faz tudo pelo cidadão, jamais você ouvirá da instituição que nada poderá ser feito naquela situação, porque quando não for competência da Guarda Civil Municipal ela tomará as providências para que o órgão competente tome as devidas providências.

É pena que uma instituição com fins nobres tenha ainda que passar o “chapéu” e insistir para conseguir que os legisladores olhem por suas “causa”, pois o guarda civil municipal não tem nem presídio próprio, caso ele faça algo de errado, ele dividirá a prisão com os mesmos ladrões que prendeu.

É necessário frisar que as Guardas Civis Municipais não são imunes a terem pessoas com caráter desviados da finalidade. Erramos por vezes. Somos humanos com um uniforme, mas tenho certeza que acertamos muito mais.

Enfim, ser guarda civil municipal é ter uma “veia” altruísta e caso seu filho seja um você terá muito orgulho e ele passará por experiências que nem todo dinheiro do mundo proporcionaria.

Pense muito antes de avaliar e opinar negativamente sobre um guarda civil municipal, pois pode ser que na próxima esquina ele proteja a sua vida em sacrifício da própria. Talvez esta situação de morrer para defender o próximo pareça estranha para você, mas não parecerá para ele. Acredite, sou guarda civil municipal.






VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

1 comentários

  1. Muito bom, este ainda eu não havia lido, gostei e vou repassar auhauha.

    ResponderExcluir

Obrigado. Fica com Deus.

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Seguidores

Acreditar

Acreditar